quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

Próxima estação


Neste intervalo de tempo a que chamamos de vida, há um lugar de esperas, um sinal de silêncio que invade os corpos e os despoja de roupas, de sentidos e de ambições.
Há no tempo um momento, um instante em que somos tudo aquilo que gostaríamos de ser, sem resquícios de tristezas, euforias ou incertezas.
Há neste tempo um instante em que paramos para olhar para o futuro, como se a saudade fosse já uma constante antes mesmo de partirmos.
Hoje, neste lugar feito de tempo, deixo os passos partir rumo ao infinito enquanto me sento sobre mim próprio com vontade de um abraço teu.
Hoje, neste sítio onde te sinto, vejo-te caminhar comigo em direcção ao nosso futuro, como comboio que passa sem parar nesta ou naquela estação.
Hoje, aqui mesmo onde estou, sinto a brisa leve do vento que segue rumo ao horizonte, sinto o teu perfume no nevoeiro que me envolve e aconchega.

terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

:)


Não está a ser filmado, mas sorria na mesma :)

sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009

Mundo de sonhos reais


O cansaço toma conta do teu corpo e adormeces envolvida em lençóis de linho, esperando a chegada da minha alma.
Esperas que o sonho te invada e te liberte das cruzes da vida.
Aguardas o instante em que te abraço o corpo, acalento a alma e te entrego as asas que te farão voar pelo céu azul do meu olhar.
Fico ali sentado, sobre aquela rocha na beira do mar, ouvindo o seu marulhar, esse ritmo que vai, que vem, enquanto percorro o teu mundo dos sonhos, como se fosse um anjo da guarda que te sabe escutar as preces, como génio que na ponta dos dedos realiza os teus desejos, ou um simples mágico que na rapidez de movimentos torna realidade as tuas próprias ilusões e sonhos.
Acabas exausta, porque o sonho também cansa a alma, e deitas o teu corpo sobre o meu, adormecendo novamente nos meus braços.
Pela manhã quando acordares vai à janela, já é dia e eu sou o sol que te aquece com raios de amor, este mundo de dias gélidos de Inverno, mundo em que os sonhos se tornam realidade...

quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008

Feliz Natal


A todos os que regularmente visitam as palavras em mim, ou que por mero acaso aqui chegam, desejo um Feliz Natal, com os votos de que todos os vossos sonhos e desejos se realizem.
Os meus sonhos, esses são hoje realidade, para isso basta apenas acreditar...

segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008

Escrito no teu olhar


O negro da noite dá cor a este cenário como se fosse magia, como se quisesse esconder a paisagem em redor.
A manhã aproxima-se e tu aconchegas-te ao meu corpo como gotas de orvalho sobre as pétalas de uma flor que teima em sobreviver ao Inverno.
Sonho, sentindo as mãos geladas e o olhar perdido por entre sombras e vultos.
Sigo sem rumo algum, sabendo que não o faço sozinho, sabendo que me segues, com o olhar atento que me ofereces.
Percorro o mundo dos sonhos, rodeado de multidões invisíveis, de gentes desconhecidas, sem rostos, mas não tenho medo, porque sei que te trago pela mão. Passeamos juntos como crianças em idade da adolescência.
Nesta bruma descortino as palavras escritas no teu olhar, que fixamente me observa, como se nunca me tivesses visto neste sonho tornado realidade e, adivinhando as próximas palavras em ti, segredo-te ao ouvido:
"AMO-TE"

terça-feira, 9 de Dezembro de 2008

Nas páginas do nosso livro


Trago comigo o livro que estamos a ler e sento-me a teu lado.
Sinto as tuas mãos nos meus cabelos, como brisa deste fim de tarde que me afaga a alma.
Abro a página e começo, encarnando a personagem, narrando esta paixão, amor, com toda a emoção que se sente em cada letra pronunciada.
Tu, contemplas o horizonte, sentindo o perfume do incenso , absorvendo cada palavra em mim que te leio, como se fosse um toque suave na tua pele.
Dás-me a mão, como se quisesses entrar comigo nesta história, como se sentisses que este romance é teu.
Olhas-me e vês que estou de olhos fechados, mas continuo a falar, já não estou a ler, mas continuo a contar a história que cada vez mais é tua, nossa.
O livro resvalou-me da mão e caiu sobre o soalho de madeira. Já não estamos ali, nenhum de nós, deixámos os corpos ficar, e partimos juntos capítulos fora, viajando nos braços um do outro, nas páginas do nosso livro...

segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

Beija-me


Vem, senta-te a meu lado.
Segura a minha mão, encosta a tua cabeça no meu ombro e ajuda-me a escrever.
Deixa nossas mãos percorrerem as linhas em branco de um futuro ainda por realizar. Escreve comigo o presente, o nosso presente.
Diz-me com que letras escreves as palavras em ti e mistura-as com as palavras em mim numa amalgama de sentimentos, de emoções reais jamais imaginadas por nós, em nós, nas palavras em nós.
Faz de nós sujeito na conjugação do verbo amar, personagens principais desta história de encantar.
Conta-me com que cores pintas o sol que amanhece todos os dias e fala-me da lua que nos embala em noites de sonhos realizados.
Descreve-me o turbilhão de sensações que percorrem os nossos corpos unidos pelo sentimento.
Canta-me letras de músicas de amor, ritmadas pelas batidas dos nossos corações acelerados.
Quero que me digas tudo o que pensas, o que queres, o que sonhas e, sobretudo, quero que me digas o que sentes.
No entanto, não o digas já.
Agora, apenas cala-te e beija-me...